top of page

Diabetes, como prevenir ou conviver com esta doença silenciosa?


O nome assustador de uma doença assustadora persegue pessoas que já viram pais ou familiares sofrer com as privações e limitações que esta doença traz.

O diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento do açúcar no sangue devido à falta ou má absorção de insulina. A condição também é conhecida como diabetes mellitus.

Doces proibidos, períodos de jejum proibidos, mal-estar em momentos inesperados, perda da visão, problemas circulatórios são alguns exemplos do que pode vir.


Ocorre principalmente em pessoas com excesso de peso, comportamento sedentário, hábitos alimentares não saudáveis e história familiar de diabetes.


Muitos são os tipos de diabetes que trazem o paciente ao consultório:


❤️Diabetes tipo 1 

É quando a produção de insulina pelo pâncreas é insuficiente devido a um defeito do sistema imunológico em que os anticorpos atacam as células que produzem esse hormônio. É o tipo menos comum e surge desde o nascimento, atingindo cerca de 5 a 10% de pessoas com a doença.


❤️Diabetes tipo 2

Interfere  na forma como o corpo metaboliza a glicose, de modo que o paciente pode apresentar resistência aos efeitos da insulina ou não produzir insulina suficiente para manter um nível de glicose normal. É o tipo mais comum, afetando cerca de 90% das pessoas com diabetes, e está, na maioria das vezes, relacionado a maus hábitos alimentares.


❤️Pré-diabetes

É quando os níveis de glicose no sangue estão mais altos que o normal, mas ainda não são caracterizados como diabetes tipo 2. Nesse caso, o paciente tem potencial para desenvolver a doença, portanto, é um sinal de alerta, principalmente para pessoas com fatores de risco, como sobrepeso, obesidade e hipertensão.


❤️Diabetes gestacional

É o aumento da resistência à ação da insulina na gestação, levando ao aumento nos níveis de glicose no sangue diagnosticado pela primeira vez na gestação, podendo ou não persistir após o parto. A causa exata ainda não é conhecida, mas envolve mecanismos relacionados à resistência à insulina pela produção de hormônios.


Mas, hoje, depois de muitos estudos, de novos medicamentos, um novo horizonte parece surgir na vida destas pessoas.

E, independente das drogas, a mudança da alimentação e dos hábitos de vida parecem ser essenciais:


☺️Aprenda a conviver com a doença.

🚶🏼‍♀️Mantenha-se no seu peso ideal

🍽️ Habitue-se a fazer refeições fracionadas.

🍰Aprenda muito sobre carboidratos e quais podem lhe fazer bem ou mal.

👩🏼‍⚕️Busque apoio profissional: médico, nutricionista, educador físico e por vezes até psicólogo são excelentes parcerias que vão prolongar sua vida com saúde.

🚴🏼Exercite-se, diariamente, em um plano individualizado, feito para você e seu estilo de vida. Isto é essencial.


Como você vê, não é difícil, é tudo o que eu sempre falo: alimentação e hábitos de vida saudável, dia após dia.

Aprenda a viver com suas limitações!


Gostou do post? Compartilhe com as pessoas que você conhece e que podem estar sofrendo com esta doença!


💦Beba💦.  🍽️Coma Consciente🍽️🏋🏻‍♀️Mexa-se🏋🏻‍♀️


Marlise Potrick Stefani

•NUTRIÇÃO & LONGEVIDADE •

Alimentação Saudável com Foco em Qualidade de Vida


Kommentare


bottom of page